Em Pernambuco e Paraíba, proposta da PLR está sendo duramente rejeitada

Com mais da metade das assembleias deliberativas do Programa de Participação nos Lucros e Resultados (PLR) realizadas junto às bases de Pernambuco e Paraíba, a resposta da categoria não poderia ser mais direta: “as minutas apresentadas pelas empresas não atendem aos petroleiros e petroleiras”. Essa mensagem está sendo dada através dos resultados obtidos durante o processo democrático de tomada de decisão dos trabalhadores e das trabalhadoras do Sistema Petrobrás, mediadas pelas representações sindicais.

Nesta segunda-feira (9), aconteceram as votações com o Grupo D e o ADM do Terminal Aquaviário de Suape (TA Suape), completando assim nove das 14 assembleias gerais extraordinárias convocadas pelo Sindipetro PE/PB. Até o momento do fechamento desta matéria, o percentual parcial de rejeição das propostas apresentadas pela Petrobrás e pela Transpetro já atingem 98%; os outros 2% correspondem às abstenções. Nenhum trabalhador ou trabalhadora das bases do Sindipetro PE/PB votou em favor da aprovação das minutas da PLR.

As assembleias acontecem desde o dia 4 de novembro e já foram encerradas na Base João Pessoa e no Terminal de Cabedelo (ambos no estado da Paraíba). Entretanto, as votações seguirão acontecendo em Pernambuco até o sábado (14), quando o Sindipetro terá um resultado definitivo deste ciclo de deliberações.

Entendendo o cenário que estamos

O regramento da PLR é um tema que tem gerado grande repercussão entre o movimento sindical petroleiro, sobretudo após o anúncio das alterações na política de remuneração dos acionistas, feito pela Petrobrás no dia 28 de outubro. Na ocasião, a gestão de Roberto Castello Branco autorizou o pagamento de dividendos aos acionistas, mesmo na ausência de lucros obtidos pela empresa. No entanto, a mesma gestão tem se negado a distribuir aos trabalhadores e às trabalhadoras a sua parte nos resultados da empresa diante da ausência de lucratividade da estatal.

Em publicação feita em seu site, a FUP destaca que “o Acordo de Regramento da PLR pactuado com a FUP em 2014, cuja validade terminou em março do ano passado, garantia a remuneração dos trabalhadores, inclusive na ausência de lucro, desde que alcançados os resultados operacionais, conforme as metas dos indicadores acordados com a categoria”. Na mesma publicação, a federação também aponta para o fato de que “nem sempre o lucro é um indicador do resultado real da Petrobrás”.

O Sindipetro, em conformidade ao Conselho Deliberativo da FUP, reitera que o regramento da PLR deve atender a todos os petroleiros e todas as petroleiras, independente das funções que exerçam, ou da empresa onde atuem.

Confira abaixo a agenda das votações:

09/11 – Segunda-feira:
o 19h – GRUPO E do Terminal Aquaviário de Suape

10/11 – Terça-feira:
o 7h – GRUPO C do Terminal Aquaviário de Suape

11/11 – Quarta-feira:
o 7h – GRUPO A da Refinaria Abreu e Lima
o 18h – ADM, na Sede do Sindicato

12/11 – Quinta-feira:
o 7h30 – ADM da Refinaria Abreu e Lima

13/11 – Sexta-feira:
o 7h – ADM do Gasoduto BR 232

14/11 – Sábado:
o 7h – Grupo A do Terminal Aquaviário de Suape

TV SINDIPETRO PE/PB

Siga-nos no Twitter