Participantes ativos e assistidos pela Petros conquistam suspensão no pagamento de empréstimos

Federação dos Petroleiros e sindicatos alertam sobre descontos e taxas que seguem em vigência, mesmo com a suspensão do pagamento

Apesar da resistência da fundação, as reivindicações e justificativas da Federação Única dos Petroleiros, em parceria com os sindicatos surtiu efeito e garantiu a suspensão por três meses das parcelas, dos empréstimos contratados pelos participantes ativos e assistidos. Os prazos dessa suspenção se dão de 21 de julho até 3 de agosto.

Para requerer esse benefício o interessado deve acessar a área do participante, no site da Petros e informar a matrícula e senha. Na seção “Empréstimos”, terá de clicar em “Solicitação de empréstimos” e escolher a opção “Suspensão temporária por 3 meses”. Em seguida, terá de selecionar o contrato e clicar em “Suspender”. Quem tem mais de um empréstimo com a Petros deve realizar esse procedimento para cada contrato ativo.

Cuidado na hora de decidir

Tratando-se de estender o prazo para o pagamento do empréstimo, esse alongamento pode ser uma boa notícia, mas é importante atentar para os riscos sobre as taxas e descontos que mesmo com a suspenção da dívida ativa, continuarão em vigência contratual. Trata-se dos valores referentes à taxa de administração do contrato e ao Fundo de Quitação por Morte (FQM), que variam de acordo com o plano. Os juros e a correção referentes ao período da suspensão do pagamento serão somados ao saldo devedor, seguindo a taxa prevista no contrato. Por tanto, é importante o alerta e a avaliação feita caso a caso na hora de decidir pelo alongamento do prazo de pagamento.

TV SINDIPETRO PE/PB

Siga-nos no Twitter