7 de setembro: um grito pelo Brasil

As ruas de mais de 200 cidades brasileiras foram tomadas de sentimentos e ações por igualdade, justiça social, por emprego e renda para as famílias. Na 27ª edição do Grito dos Excluídos e Excluídas a defesa da democracia deu a tônica das manifestações, mesclando as cores dos símbolos nacionais com a diversidades da aquarela que se viu nas ruas. Em Recife não foi diferente, o sorriso e a alegria dos que caminharam na Avenida Conde da Boa Vista, no centro da capital, contrastou com o discurso beligerante e agressivo de quem a todo instante busca apontar inimigos, sustentados por pautas antidemocráticas.

Os petroleiros marcaram presença, dialogando com a sociedade civil e somando na defesa das conquistas históricas do estado democrático de direito, além claro, das pautas imediatas que afligem o povo brasileiro. É com alegria que se faz a crítica por políticas públicas que façam a roda da economia girar e tirar o país do desolador número de aproximadamente 15 milhões de desempregados; é com esperança que se deve pautar outra política econômica que trate com soberania nossos bens naturais, abolindo a taxação do Dólar sobre as reservas de petróleo, para baratear os preços do gás de cozinha e dos combustíveis; é com vivida coragem que o povo brasileiro não deve desanimar e transformar o luto das mais de 580 mil vidas perdidas, em verbo, visando costurar um amplo sentimento pela reconstrução do Brasil.

O Grito dos Excluídos e Excluídas de 2021 em contraste com as manifestações antidemocráticas ocorridas no mesmo dia, foi um grito que se amplifica como o desejo de mais de 75% da população brasileira. Pela superação imediata desse governo e pela fundação de um futuro em que o povo volte a ser feliz.

TV SINDIPETRO PE/PB

Siga-nos no Twitter