Petroleiros e Petroleiras de Pernambuco se solidarizam à greve da PBio

Texto: João Lucas Gama
Imagens: Direção do Sindipetro PEPB e comunicação da FUP

Petroleiros e petroleiras do Grupo B da Refinaria Abreu e Lima (RNEST) juntaram-se, na manhã desta quarta-feira (2), aos atos em apoio à greve em curso na Petrobrás Biocombustíveis (PBio). Os trabalhadores das unidades de Montes Claros (MG) e Candeias (BA), além da sede da empresa, no Rio de Janeiro, estão em greve há 14 dias, em resposta às recusas da gestão da empresa em negociar a manutenção dos empregos da subsidiária, que atualmente está em processo final de privatização. As manifestações ocorrem no mesmo dia em que a gestão da empresa e representantes sindicais participam de uma audiência de conciliação junto à ministra Delaíde Alves Miranda Arantes, do Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Aproximadamente 150 trabalhadores próprios da empresa reivindicam o direito de serem realocados para outras bases do Sistema Petrobrás, uma vez que são concursados, que passaram por rigorosos processos de treinamento e capacitação em toda a extensão da estatal bem como suas subsidiárias e que seguem o mesmo Plano de Cargos e Avaliação de Carreiras (PCAC).

Entretanto, a Petrobrás tem alegado a existência de uma “impossibilidade jurídica” para a realização da medida exigida pelos trabalhadores e pelas trabalhadoras da subsidiária; a gestão da PBio tem apontado ainda que não possui competência para atender ao pedido de seus empregados – mesmo já existindo uma promessa de realocação, em caso de privatização, desde 2019.

Além dos trabalhadores próprios, outras questões também preocupam os sindicatos e a Federação Única dos Petroleiros (FUP), como a demissão de centenas de terceirizados e terceirizadas, além do iminente impacto que a venda das unidades irá trazer às regiões onde estão localizadas, comprometendo assim seus desenvolvimentos econômicos e sociais.

Durante o ato na RNEST, a direção sindical destacou a importância solidariedade aos companheiros e às companheiras petroleiros e petroleiras da PBio, sobretudo diante dos ciclos de desinvestimentos e vendas de ativos do Sistema Petrobrás que também ameaça a unidade, desde que a mesma foi posta na prateleira pela gestão Castello Branco, em 2019.

Desde o início da greve, no dia 20 de maio, outras manifestações de apoio aos trabalhadores e trabalhadoras da PBio têm sido feitas por todo o país. Em Pernambuco, os atos vêm acontecendo desde o dia 31 de maio, durante as setoriais que são realizadas junto às bases de Pernambuco, no Terminal Aquaviário de Suape (TA Suape) e na Refinaria Abreu e Lima.

“A luta urge a unidade”, enfatiza Luiz Lourenzon, Secretário Administrativo do Sindipetro PEPB e diretor da FUP em Pernambuco, que está à frente da condução dos encontros setoriais. “Os trabalhadores se sensibilizaram com essa greve, assim como outras que já tivemos. Só a luta é capaz de reverter muitas das perdas que estamos tendo”.

Os encontros setoriais também tem servido para atualizar a categoria sobre outros assuntos de seu interesse. Entre os temas abordados nas setoriais, tem sido destacado a importância de que seja feita a cobrança, por parte dos trabalhadores, para que a empresa mantenha os seus Perfis Profissiográficos Previdenciários (PPP) atualizados, de maneira a garantir que nenhum petroleiro seja prejudicado futuramente com a perda de direitos adquiridos ao longo dos anos.

Ao menos outros 5 estados realizaram atos em apoio à greve (AM, RN, SP, MG e BA). Na Bahia, houve um grande ato na Usina de Candeias, onde esteve presente o coordenador da FUP, Deyvid Bacelar, que cobrou a participação da holding na audiência de conciliação que acontece na data de hoje, na esperança de que se possa avançar “no atendimento da garantia legítima de realocação dos empregados concursados da PBio. Enquanto isso não acontecer, a greve continua”, afirmou.

Mobilizações nas redes

Além dos atos nas unidades, manifestações também foram registradas nas redes sociais em apoio à Greve da PBio. Um tuitaço para pressionar a Petrobras a abrir um canal de negociação com as representações sindicais aconteceu as 14h desta quarta-feira. A mobilização se estende a outras redes sociais (como Facebook e Instagram), utilizando as hashtags:
#EuApoioGrevePBio
#PetrobrasParaOsBrasileiros
#SustentabilidadeNãoSeVende

O apoio aos trabalhadores da PBio também pode ser manifestado, adicionando o tema da greve ao avatar de seu perfil no Facebook. Acesse através do link: www.facebook.com/profilepicframes/?selected_overlay_id=163243305815726

TV SINDIPETRO PE/PB

Siga-nos no Twitter